VOLTAR

Casas Kopke e Burmester preparam lançamentos clássicos que o mercado conhecerá no último trimestre do ano

Kopke and Burmester anunciam o lançamento de Porto Vintage clássico de 2017

As duas Casas de Vinho do Porto, que integram o grupo Sogevinus Fines Wines, anunciam o lançamento do Porto Vintage clássico de 2017, um ano recordado pela atipicidade do ciclo vegetativo que desafiou os tempos de vindima com maturações precoces, resultando em produções baixas mas de excepcional qualidade.

O baixo rendimento da colheita de 2017 aliado a uma criteriosa selecção de uvas privilegiaram a produção dos Vintages da Casa Kopke e da Casa Burmester.

Provenientes de duas sub-regiões distintas, Cima-Corgo e Douro Superior respectivamente, estes Vintages reflectem a essência do seu terroir, a identidade e o carácter de cada uma das marcas.

VOLTAR

Casas da Sogevinus Fine Wines preparam lançamentos clássicos que o mercado conhecerá no último trimestre do ano

As Casas de Vinho do Porto que constituem o grupo Sogevinus Fines Wines anunciam o lançamento de Porto Vintage clássico de 2016, um ano desafiante mas que acabou por se traduzir em vinhos excecionais.

Kopke, Burmester, Cálem e Barros respeitam a identidade individual e o perfil que ao longo do tempo lhes tem estado associado, apresentando-se ao mercado com propostas de vinhos com muito carácter e enorme capacidade de evolução, que se traduzem em valores seguros.

Foi um ano particularmente desafiante. Tivemos que ter um conhecimento profundo do estado das uvas na videira, pois cada casta e cada parcela de vinha evoluíram a ritmos distintos.

Generalizando, os Porto Vintage 2016 mostram-se carregados de cor e cheios de estrutura, mais concentrados, robustos e intensos por comparação com os Vintage 2015. Ou seja, um perfil clássico de Vintage.

" Ser paciente e esperar pelo momento certo valeu a pena, como está demonstrado nos resultados excepcionais que alcançamos com nossos vários vinhos ”

Carlos Alves, enólogo para Vinhos do Porto da Sogevinus Fine Wines.

Relatório de vindima

Os meses de novembro e de dezembro de 2015 foram secos, mas o restante inverno, sobretudo os meses de janeiro e fevereiro de 2016, registaram precipitação muito acentuada. As temperaturas em dezembro e janeiro foram superiores à média dos últimos 30 anos.

A primavera surgiu chuvosa e fria, o que atrasou o arranque vegetativo. Com a subida da temperatura e da humidade na parte final dessa estação do ano foi necessário redobrar a atenção à vinha, atuando sempre no momento certo. O verão foi muito quente e seco, tendo em julho ocorrido episódios de trovoada e granizo, o que originou uma importante perda de produção nalguns locais específicos.

Face a 2015, a vindima arrancou cerca de 10 dias mais tarde, em consequência do atraso inicial do ciclo vegetativo – primavera inicialmente fria, verão muito quente. A generalidade dos cachos apresentava um tamanho mais reduzido que o habitual, compensado pela boa relação polpa/película e por um fruto mais rico e complexo.

O ritmo distinto de maturação das diferentes parcelas de vinha obrigou a um planeamento minucioso por parte da equipa de viticultura, liderada por Márcio Nóbrega. Talhão a talhão, a apanha respeitou o ponto de maturação ótimo de cada casta, tendo a vindima de brancos para Vinho do Porto sido iniciada em 12 de setembro e, um dia depois, a de tintos, com uvas pronevientes do Douro Superior.

A casta que registou melhor comportamento foi a Touriga Franca, secundada pela Touriga Nacional, que também se mostrou a muito bom nível.

Notas de prova pelo enólogo

Kopke Porto Vintage 2016

Kopke Vintage Porto 2016
Notas de prova

Castas: vinhas velhas (60%) com mais de 50 anos da Quinta de S. Luiz, sub-região do Cima Corgo, e Touriga Nacional (40%).

Cor negra profunda. Nariz intenso e complexo, de fruta negra bem madura – ameixa, amora e cereja. Apontamentos de cacau, pimenta negra e um suave perfume de violeta. Untuoso, com várias camadas de sabor, tanino vincado e vigoroso mas sempre com excelente equilíbrio entre a doçura e a acidez. Final longo, profundo e fresco.

Burmester Porto Vintage 2016

Burmester Porto Vintage 2016
Notas de prova

Castas: Touriga Nacional (50%) e Touriga Franca (50%), de vinhas com mais de 25 anos, da Quinta do Arnozelo, Douro Superior.

Cor rubi. Aromas exuberantes, de fruta vermelha, cássis, esteva e ligeiras notas mentoladas. Muito elegante e delicado, respeitando o perfil da casa, tem estrutura firme, sabor de fruto maduro e excelente acidez. O final é muito longo e harmonioso.

Cálem Vintage Porto 2016

Cálem Vintage Porto 2016
Notas de prova

Castas: Touriga Nacional (30%), Touriga Franca (30%), Tinta Roriz (30%) e Sousão (10%), sub-região do Douro Superior.

Cor púrpura. Nariz discreto, com notas de fruta negra bem madura, chocolate negro e alguma especiaria. Poderoso e intenso na estrutura, num compromisso entre acidez e doçura que o tornam cremoso e sofisticado. Finaliza longo, com a fruta a perdurar.

Barros Porto Vintage 2016

Barros Porto Vintage 2016
Notas de prova

Castas: Touriga Franca (40%), Tinta Roriz (30%), Touriga Nacional (20%) e Tinta Barroca (10%), sub-região do Cima Corgo.

Cor rubi escura. Perfumado, combina notas de fruta fresca, apontamentos mentolados e nuances balsâmicas. Muito suculento, tem estrutura afirmativa e um registo apetitoso de fruta. O final é incrivelmente longo.